Manifestantes Libertados, Ameaça de Fuzilamentos
Por Maka Angola - 20 de Setembro, 2012

Efectivos da Polícia Nacional detiveram hoje, perto das 14h00, um grupo de 10 jovens que tencionava organizar uma vigília diante da presidência da UNITA, na Maianga, em Luanda, para pressionar os partidos políticos da oposição a boicotarem a sua entrada no parlamento.

Adolfo Campos, um dos detidos, explicou que, como argumento para a detenção, “a polícia trouxe um documento forjado, com data de 2011, a dizer que o Governo Provincial de Luanda recusou o nosso pedido de vigília e, por isso, tínhamos de ser levados”.

Após seis horas, na 12ª Esquadra, no município do Cazenga, a Polícia Nacional libertou os jovens Adolfo António, Adolfo Campos, Belo Morete, Hugo Calumbo, Jang Nómada, Luaty Beirão “Brigadeiro Mata Fracos” (na foto), Pedro Sebastião “Explosivo Mental”, Pedrowski Teca, Rosa Mendes e Tukayano Rosalino.

“O comandante Eduardo Diogo, da Maianga, comandou a operação. Um dos agentes, que recebia constantemente ordens por telefone, disse-nos que devíamos ser fuzilados”, disse Hugo Calumbo.

Adolfo Campos explicou como foi detido, nas imediações da presidência da UNITA, enquanto caminhava sozinho. “Agora pergunto: como cidadão já não posso sequer circular na rua à vontade? É crime estar a caminhar sozinho?”, questionou-se.

A maioria dos jovens detidos pela Polícia Nacional têm sido os principais animadores das manifestações anti-regime, que visam, fundamentalmente, a demissão do presidente José Eduardo dos Santos, no poder há 33 anos. Com os resultados eleitorais das eleições de 31 de Agosto passado, o presidente tem o caminho aberto para permanecer no poder mais dez anos, até 2022, quando completará 43 anos de poder e 80 anos de vida.

Pelas suas inicitivas anti-Dos Santos, os referidos jovens também têm sido os principais alvos da brutalidade policial e das milícias pró-governamentais, tendo sido detidos, espancados e raptados em várias ocasões, incluindo em Maio passado.

Contrariamente ao habitual, desta vez os manifestantes afirmaram terem sido tratados com dignidade e não terem sido colocados em celas, como inicialmente os agentes exigiam. “Mantiveram-nos numa sala de reuniões e passaram por nós vários investigadores, de vários escalões, que nos queriam interrogar separadamente, mas não tínhamos nada a dizer”, afirmou Hugo Calumbo.

Os efectivos da Polícia Nacional recolheram todos os telefones dos manifestantes e o iPad de Rosa Mendes, processaram a informação e colocaram uma palavra passe na sua propriedade, segundo denunciaram os detidos. No acto de soltura, os manifestantes receberam os seus haveres. “A polícia bloqueou o meu iPad, não tenho acesso ao mesmo. Disseram-me que me avisariam quando poderiam devolver o i-pad”, disse Rosa Mendes.

No entanto, segundo o conhecido advogado David Mendes, pai de Rosa Mendes, os oficiais de serviço na 12ª Esquadra recusaram-se a assumir a detenção dos jovens. “Disseram-me [os oficiais da PN] que os jovens foram levados, de um município para outro, apenas para serem informados de que a vigília estava proibida e nada mais”, contou David Mendes.

O gabinete de informação do Comando Provincial da Polícia Nacional em Luanda não retornou as chamadas de Maka Angola para apresentar a sua versão dos factos.

Ver Próxima Maka Ver Maka Anterior

11 Responses to “Manifestantes Libertados, Ameaça de Fuzilamentos”

  1. Kassy says:

    Por acaso voces alimentam-se dos comentários dos internautas???!!!1

  2. Kassova says:

    O Makaangola, devia actualizar o seu arquivo fotográfico e usar imagens k de facto correspondam com o k se escreve. Todos conhecemos o Luati e sabemos do seu activismo. Mas acho não ser correcto "abusar"da sua imagem uma vez k há outros jovens também muito activos no "movimento REVU"._Quanto a não reprodução dos textos, acho k a MakaAngola ganha muito mais com a "disseminação" do link do seu website, por isso faz algum sentido não autorizar a cópia, pois nem todo mundo respeita as fontes, nem os autores.

  3. CIDADÃO says:

    SÓ RESTA ADMITIR QUE O MPLA É O MAIOR É DO POVO E É O POVO. OS OUTROS PARTIDOS DEVEM ESTUDAR MELHOR AS SUAS ESTRATÉGIAS PARA MOBILIZAR O ELEITORADO.

  4. JMP says:

    Os Sres. do Maka Angola são pouco inteligentes… Não deixam copiar o texto para difundir o que acontece em Angola. Acham que vão ganhar um Pulitzer e querem se assegurar os 'direitos' de reprodução?

    Quê pouca visão!

  5. adolfo says:

    Um pais que cheira xixi e fezes não é país

  6. Ernani cassova says:

    Se fosse no tempo do general estes tipos que querem aparecer nunca seriam libertos . Como pode uma cidade de mais de 4 milhões de habitantes 10 tipos que não representam 000000000000000 por cento de ninguém e nenhum partido ficam por aí a semear desacatos. cadeia…..

    • A culpa da permanência de JES e do MPLA continuar no poder, é dos partidos de oposição, que não apresentaram alternativas, como: um programa de governação para convencer o eleitorado. nem candidatos com capacidade para disputar às eleições. Não me surpreende nada, que, o Kota DUDAS e o MPLA permaneçam por mais uma década no poder. O povo quer mudança do regime, mais para isso, os políticos têm de investir na educação e sensibilização do povo. Alguns políticos, deixam-se vender por umas dezenas de dolares, calam a boca, esquecem o povo, e nos momentos de se manifestarem, são empurrados como carne para canhão. É preciso dar a cara na hora díficil. O MPLA, tem tirado partido devido a fraqueza, e a falta de coragem dos partidos da oposição. Será que os Angolanos seguirão o caminho do povo Líbio, Egipto e da Siria? Não esse caminho, porque o caminho do diálogo construtivo, é o caminho que o povo angolano deve sempre seguir. O Governo tem o dever e responsabilidade total de educar e reeducar às forças da ordem, que continuam a matar o povo, volando os direitos humanos e, à Constituição da República de Angola. Uma polícia ao serviço do povo, e não contra o povo. É preciso punir severamente às forças da ordem que cometem crimes contra o povo, para a culpa não continuar a morrer solteira. É preciso agir na hora e no momento certo.

  7. bula matadi says:

    angola tem um governo kleptocrático que não sabe governar sem o uso da força e da repressão. o regime consegue mentir algumas pessoas, mas o regime não consegue fraudulentar todas as vezes e todo o tempo. este é o ano da justiça, zé banana já caiu do poder.

  8. antunes says:

    este pais está uma loucura. As pessoas não devem ser detidas por qualquer movimento

  9. Luareco says:

    Mais uma vez fica demonstrada que a liberdade de expressão é uma mentira m Angola. Só aqueles que bajulam a quadrilha de malfeitores que está no poder é que gozam de liberdade de expressão. Agora põe-se a questão: Será que os partidos da oposição trairam a sua própria causa e venderam-se ao regime ? Se é esse o caso então Angola está condenada a viver eternamente na ditadura.



Sondagem

O governo não reconhece juridicamente a Rádio Ecclesia, não permite a sua expansão, mas apoia-a financeiramente. Há censura na emissora católica. O caso revela:

View Results

Loading ... Loading ...
Partilhar Sondagem

A guerra sem fim no leste da República Democrática do Congo



A partir do leste do Congo, a FDLR, responsável pelo genocídio no país vizinho, continua a tentar atacar o Ruanda e a atormentar a população local congolesa. Para se defenderem, as aldeias congolesas formam milícias.

Ler Mais →

Mais cinco dólares anuais por pessoa podiam salvar 187 milhões



Este pequeno investimento, até 2035, seria suficiente para os Estados mais pobres reduzirem a mortalidade. Uma maior aposta também na educação seria a alavanca para o crescimento económico, segundo a OMS.

Ler Mais →

CPLP lança campanha de combate à fome



Cerca de 28 milhões de pessoas sofrem de desnutrição no espaço lusófono. Para dar resposta ao problema, a CPLP lançou uma iniciativa internacional e pretende angariar até ao final de ano seis milhões de euros.

Ler Mais →

© 2014 Maka Angola Todos os direitos reservados.
É expressamente proibida a reprodução de parte ou da totalidade dos conteúdos do Maka Angola, mediante qualquer forma ou meio, sem prévia e formal autorização.
Caso tenha interesse em reproduzir conteúdos do Maka Angola, envie uma mensagem a info@makaangola.org a solicitar a devida autorização.