Cultos Pentecostais de Apoio ao MPLA
Por Maka Angola - 22 de Julho, 2012

Por Lázaro Pinduca:

A Igreja Assembleia de Deus Pentecostal está a viver um período conturbado devido ao uso dos seus púlpitos, na província da Huíla, para cultos de angariamento de votos a favor do MPLA. Por um lado, os pastores  afirmam, de forma surpreendente, o seu activismo partidário. Por outro lado, os fiéis manifestam-se  atónitos com a obrigação de terem de votar todos no mesmo partido, conforme apelos dos seus líderes.

O mais preocupante é o modo como os líderes religiosos dessa denominação ameaçam os fiéis para não votarem em qualquer outro partido, excepto o MPLA, nas eleições de 31 de Agosto. Por exemplo, a 15 de Julho, o pastor Lola Manuel lembrou aos fiéis a importância das eleições e sublinhou que o boletim de voto apresenta nove partidos políticos concorrentes. “Este ano, o MPLA é o número dois, e não dez, como em 2008. Os irmãos não podem confundir! O MPLA é o número dois e ninguém pode votar na galinha [UNITA] que é o número um. Quem o fizer será descoberto porque aqui na igreja tem gente do SINSE [Servicos de Inteligência e Segurança do Estado]“.

Vários fiéis, de forma anónima, continuam a condenar o modo como os pastores usam a igreja para fins políticos, comerciais e pessoais. Referem, por exemplo, o culto de homenagem ao Presidente da República, José Eduardo dos Santos, realizado em Agosto de 2009, por ocasião do seu aniversário natalício, oficiado pelo líder máximo da referida igreja, Francisco Panzo. Alguns membros da direcção da igreja denunciaram o culto como um acto comercial que envolveu a disponibilização de verbas, por parte do governo, para a construção de novas igrejas. Outros denunciam a ambição do reverendo Franscico Panzo em fazer parte do Conselho da República, à semelhança de alguns líderes de outras denominações religiosas, pelos privilégios e imunidade que o cargo de conselheiro do chefe de Estado confere.

Os escândalos no seio desta denominação religiosa agudizaram-se quando o ancião Domingos Galego, auxiliar do pastor Ramalheto, major na reserva das ex-FAPLA, juntou-se ao Fórum Independente dos Desmobilizados de Guerra de Angola (FIDEGA), para reclamar os seus subsídios como veterano de guerra. O reverendo Ramalheto do Prado, o responsável máximo da igreja na Huíla, suspendeu-o de todas as actividades na igreja, em Fevereiro passado, por considerar a sua reclamação como uma afronta ao poder do MPLA. Há duas semanas, o antigo oficial faleceu vítima de doença, sem que a sua suspensão tivesse sido levantada.

Ramalheto do Prado é apontado, pelos seus fiéis, como oficial superior do SINSE, para além do exercício médico na Maternidade do Lubango, como ginecologista. Por sua vez, o pastor Lola Manuel exerce funções no Hospital Militar do Lubango, como enfermeiro.

Ver Próxima Maka Ver Maka Anterior

6 Responses to “Cultos Pentecostais de Apoio ao MPLA”

  1. Mistério says:

    Meu que pena!

    Estes pastores não conhecem Deus, nem a Jesus que eles pregam, estão seguindo políticos porque não são servos do dono do ouro e da prata, eles querem gloria humana, não sei porque não deixam só a igreja e assumem o verdadeiro papel deles como políticos e feiticeiros

  2. Mistério says:

    Essa atitude é de satanistas e vampiros. Por favor, pelo amor de deus que vocês fingem adorar, não façam mais isso. Se é que têm alguma vergonha na cara. Não manchem mais o nome do deus vivo. Parem de matar os inocentes e aceitem a Jesus e se arrependam dos vossos nojentos pecados. Pensem nisso. Jesus est+a voltando, ainda há tempo de mudar. Aviso de quem se preocupa com vocês.

  3. Remanescent says:

    Parem de sujar o povo santo e se convertem porque ficarão de fora os cães,os feiticeiros,os corrrrrrrrrruptossssss,os k amam e praticam tais coisas e voce sabe disto

  4. Al Felix says:

    Sabe o que revolta? É o cinismo, a bajulação e a promiscuidade dos reverendos travestidos de pastores de ovelhas, porém não passam de verdadeiros bodes e mercenários. Inacreditável? Não, LAMENTÁVEL!

  5. Mateus says:

    O que se está a assisir no nosso país é uma pena…Pastores a vergarem-se por causa de migalhas…quando nesta altura seriam aqueles que estariam a dar suporte ao povo de DEUS. É doloroso a forma como se utiliza o nome de DEUS para fins lucrativos. Mas, o que me dá força é o facto de que tudo isto terá um fim…Espero bem que consigamos nos arrepender antes deste fim…

  6. Mateus Filho says:

    MPLA nas Igrejas? …que sujeira…Toda árvore que não dá fruto deve ser cortada, assim como toda a igreja que se vergar à corrupção dos políticos deve ser abandonada!

    É uma pena que os nossos pastores perdem o juízo por causa de migalhas… Isto significa que não vivem em oração…que pena!

    Feliz é o povo que guarda o senhor como seu DEUS.



Sondagem

O governo não reconhece juridicamente a Rádio Ecclesia, não permite a sua expansão, mas apoia-a financeiramente. Há censura na emissora católica. O caso revela:

View Results

Loading ... Loading ...
Partilhar Sondagem

A guerra sem fim no leste da República Democrática do Congo



A partir do leste do Congo, a FDLR, responsável pelo genocídio no país vizinho, continua a tentar atacar o Ruanda e a atormentar a população local congolesa. Para se defenderem, as aldeias congolesas formam milícias.

Ler Mais →

Mais cinco dólares anuais por pessoa podiam salvar 187 milhões



Este pequeno investimento, até 2035, seria suficiente para os Estados mais pobres reduzirem a mortalidade. Uma maior aposta também na educação seria a alavanca para o crescimento económico, segundo a OMS.

Ler Mais →

CPLP lança campanha de combate à fome



Cerca de 28 milhões de pessoas sofrem de desnutrição no espaço lusófono. Para dar resposta ao problema, a CPLP lançou uma iniciativa internacional e pretende angariar até ao final de ano seis milhões de euros.

Ler Mais →

© 2014 Maka Angola Todos os direitos reservados.
É expressamente proibida a reprodução de parte ou da totalidade dos conteúdos do Maka Angola, mediante qualquer forma ou meio, sem prévia e formal autorização.
Caso tenha interesse em reproduzir conteúdos do Maka Angola, envie uma mensagem a [email protected] a solicitar a devida autorização.